Educação, educação, compre 2 e leve 1 de brinde...

Estava assistindo televisão hoje quando vi esta propaganda das faculdades Anhanguera, e me lembrei te um resumo do livro, "Gestão democrática da Escola Pública" de Vitor Henrique Paro, que fiz no último ano de faculdade. Realmente perceber a mercantilização gradual da educação é muito lamentável, é de enxer os olhos d'água. Segue um parágrafo do texto que produzi na graduação.


"No terceiro item, “a natureza do trabalho pedagógico”, Paro inicia conceituando o trabalho em seu aspecto amplo e geral, mostrando porque o homem se diferencia do animal, a partir de uma análise embasada em Marx. Daí ele especifica o tema abordando a partir do trabalho pedagógico dentro do sistema capitalista de produção. O capitalismo está presente na escola, porém sua relação não é análoga às relações de mercado. Segundo Paro, o ensino não é um produto qualquer, e a produção e consumo se dão ao mesmo tempo, pois o aluno é consumidor e objeto do trabalho ao mesmo tempo, ora, o ensino não é uma coisa comprada e adquirida como produto final, é, pois um trabalho a ser construído, e este se dá a partir da relação dialógica entre docente e discente. O processo pedagógico é também algo que muda as pessoas, transforma suas vidas, assim, apesar do sistema capitalista tentar reduzir todas as esferas da sociedade em simples relações comerciais, no quadro da educação o desenvolvimento se dá de uma forma mais complexa. O saber pode ser expropriado, mas não de uma forma simples como uma mercadoria qualquer. Outra distinção é a questão do lucro, a mais-valia, sendo que a escola pública não gera lucros para o Estado, daí está uma das distinções entre o ensino público e privado, já que este último gera lucros para os proprietários da escola".


4 comentários:

Hugo Simões disse...

cara, muito foda isso. achei muito bom esse seu parágrafo! como aluno da ufpr sei bem como é isso, ainda mais por estar inserido no movimento estudantil e tentar de todas as formas manter a educação pública realmente pública e de qualidade. é muito triste mesmo.. você é formado em que? (só por curiosidade hehehe)

Hugo Simões disse...

é verdade, ensino à distância me dá medo!
caaara, história é muito massa... um dos motivos de eu fazer direito foi o medo de não arranjar nenhum trabalho bom, mas eu superei isso e se fosse hoje eu faria algo das humanas, sou muito mais de humanas. mas o curso na ufpr me surpreendeu e as pessoas lá também, não penso mais em largar o curso, mas nunca serei um operador do direito! hehehe
as eleiçoes pro dce tao chegando por aqui e eu apoio a chapa "pra não virar privada", que tem alunos de várias áreas das humanas e direito e outros cursos como farmácia, espero que a gente ganhe!
é, meus 2 ultimos textos foram sobre pós-modernidade.. valeu por ter comentado! vou passar aqui sempre que puder e colocar um link ali no meu blog pra ficar mais fácil preu achar!
abraço!

Frico disse...

Ah, vc tinha proposto fazer uma parceria, né? Vamos trocar links? abrax

Marxin Leonov disse...

Saudações, caro Breiner! Vi seu comentário lá no blog Pravda sobre o post do Danilo Gentili. Gostaria de te dizer que devido a um problema do Google, criei outro blog, o http://marxinleonov.wordpress.com/. Espero sua visita por lá! Tenho um twitter também, o http://twitter.com/MarxinLeonov
Ah, dei uma olhada no seu blog e gostei, achei bem interessante. Dá para ver que temos uma certa veia blogueira em comum.
Um abraço! Aguardo contato seu.

 
BlogBlogs.Com.Br